<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d7876992\x26blogName\x3djoaoscottex\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://joaoscotex66.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://joaoscotex66.blogspot.com/\x26vt\x3d7900938790244365435', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

IVG - Interrupção Voluntária de Gravidez



Em 1982, era eu um jovem de 16 anos e estive presente como observador nas galerias da Assembleia da República, a um dos debates de discussão do 1º Projecto de Lei, para a Despenalização do Aborto (forma grosseira como era e ainda é considerada por muitos, a IVG), já na época se discutia o direito à vida fectal. Mas, o problema de saúde pública resultantes dos denominados "desmanches", infligidos às mulheres por todo o país, sim porque este é um problema que atinge todo o país, e que nos enche de vergonha por não termos até à data conseguido uma solução para o mesmo.
Continuando, em 1998 a A. R. chegou a aprovar (como hoje) na generalidade um Projecto de Lei para a Despenalização da IVG, cujo processo viria a ser interrompido pela convocação do "famoso" referendo de PRAIA, acordado pela noite fora pelos actores de sempre, PS e PSD. Por falta de coragem política e não só (afinal parece que a nova república continua com o rabo preso a volores religiosos,... Aiiii! tenho que ter cuidado com o que digo, o Bentinho anda por aí!?) o Sr. António Guterres, lembrou-se do "escrúpulo democrático", e do "voto em consciência", o que quer que ambas expressões signifiquem, o resultado já todos nós sabemos qual foi. Ah! Lembram-se de um belo dia de PRAIA, em que só 31,9% dos eleitores votaram? Será isto o "escrúpulo democrático"?
Então, será mesmo necessário despacharem uma vez mais as suas responsabilidades para um novo referendo, têm medo? Afinal para que é que pediram e obtiveram uma maioria absoluta?
Se bem me lembro a IVG fazia parte do famoso Programa Eleitoral do PS, pois, não sabemos é o espaço temporal e forma? É o que dá votar em branco.
Hoje, não é possível informar e provar estatisticamente os valores e impacto social da execução de ABORTOS, em Portugal e para quem tem dinheiro e muita vergonha, a nossa vizinha Espanha (até com esta triste e humilhante situação ganham dinheiro e nós tapamos os olhos!). Diz-se que a IVG, pode atingir o brutal número anual de 40.000 IVG?!!!!!!
PAREM, as mulheres que o PS de forma tão solene, adora colocar no seu discurso ("Portuguesas e Portugueses..."), e a que não atribui grande importância (pelo menos no Governo, não), são essas Portuguesas que sofrem na pele as consequências físicas, psicológicas e até legais. Acho que é chegada a altura de todos dizermos basta.
Já que os políticos gostam de se servir como exemplo, de outros países, como a França, a Alemanha e agora a "Espanha, Espanha, Espanha...", como o Sr. PM José Sócrates frisou na sua recente visita a "nuestros hermanos", a IVG é um bom exemplo tentem segui-lo a bem de todos, em especial das MULHERES.
« Home | Next »
| Next »
| Next »
| Next »
| Next »
| Next »
| Next »
| Next »
| Next »
| Next »